Confira um bate-papo com Janaína Diniz, uma das donas da Urbana

Publicado em 4 de maio de 2021

Segunda, 3, a CDL conversou com a sócia-proprietária da Loja Urbana Homem-Mulher, Janaína Diniz. Ao lado das sócias, Fátima e Aliniane Diniz, ela está há 17 anos no comércio de Nova Serrana.


Na oportunidade, Janaína falou sobre a expectativa de vendas para o Dia das Mães, sobre como tem sido enfrentar a crise trazida pela pandemia e ainda o que ela espera para o comércio nos próximos meses.


VALE A PENA CONFERIR NA ÍNTEGRA ESTE BATE-PAPO:


Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) – Qual sua expectativa com relação às vendas para o Dia das Mães?

Janaína Diniz (JD) – Nossas expectativas são as melhores. Compramos bastante coisa e já abastecemos a loja. Depois disso, já foi preciso fazer mais compras para suprir as mercadorias que foram vendidas. Não esperávamos que nossos produtos tivessem tanta saída em tão pouco tempo.


CDL – Você espera vender como num Dia das Mães típico, de antes da pandemia?

JD – De acordo com as vendas desses últimos dias, venderemos igual ou mais que em um Dia das mães de antes da pandemia. Com a recente abertura do comércio as vendas aumentaram muito. Noto que mesmo quem vai passar a data longe da mãe, vai presentear. Então, mesmo com a pandemia, esta data será boa para o comércio.


CDL – A data conseguirá repor à sua loja as perdas causadas pelo último fechamento do comércio?

JD – Com certeza. Durante o fechamento fizemos entregas, vendas online, mesmo assim, foram dias difíceis. Dia das Mães é nosso segundo Natal. Preparamos muitas variedades, justamente, para atrair o cliente e repor nossas perdas.


CDL – O que você e suas sócias têm feito para driblar a pandemia?

JD – Estamos tendo muito apoio das nossas colaboradoras que reduziram o horário de almoço para a loja não ficar devendo horas de trabalho. Também estamos fechando mais cedo e controlando mais o estoque. Além disso, estamos postando mais fotos e vídeos nas redes sociais e usando bem mais os meios digitais, como whatsapp. Isso tem nos ajudado a manter um relacionamento mais intimista com os clientes.


CDL – Na sua opinião, a pandemia trouxe algo de bom?

JD – Essa foi a maior crise que enfrentamos desde a abertura da loja, há 17 anos. Ano a ano superávamos nossas metas e isso mudou com a chegada da pandemia. Por outro lado, a pandemia nos aproximou dos clientes e uniu os comerciantes. Também aumentou nossos cuidados com todos, com as nossas funcionárias e consumidores. Isso, devemos manter, mesmo com o fim da pandemia.


CDL – Para encerrar, qual é sua expectativa para os próximos meses?

JD – Nossa expectativa é de crescimento das vendas. Também, com a chegada da vacina, esperamos vencer essa pandemia e voltar nossa vida ao normal.

42 visualizações